Otimizar seu banco de dados para o WordPress e economizar recursos

Como otimizar seu banco de dados para o WordPress e economizar recursos

O objetivo de otimizar qualquer recurso é a economia. E ela pode ser economia de espaço em disco, ou economia de tráfego de rede, de uso de memória, de banco de dados… No final, a otimização permite que os recursos sejam melhor utilizados. Um site otimizado será transferido e aberto mais rapidamente. Em tempos atuais, onde tudo flui na velocidade da luz, desempenho é fundamental, não só para o seu negócio, mas também para o seu site.

Uma grande parte dos sites do mundo são administrados por um sistema gerenciador de conteúdo (CMS), e entre eles, destaca-se o WordPress. O mesmo se baseia fortemente no uso de um sistema gerenciador de banco de dados (SGBD), o MySQL. Veremos então como podemos otimizar o banco de dados para que o WordPress faça uso dele mais rapidamente, e com isso tenhamos um ganho de desempenho.

O WordPress

O WordPress é seguramente o Sistema Gerenciador de Conteúdos (CMS) mais usado do mundo. Ele é um software livre e foi escrito na linguagem de programação PHP. Entre as suas inúmeras características destaca-se uma sólida arquitetura de plug-ins (extensões), que permitem a expansão das suas capacidades; uma grande abundância de temas e templates, que torna possível alterar completamente o visual do site; suporte a dispositivos móveis, cada vez mais comuns hoje em dia… Entre outras vantagens.

O WordPress, como já falamos anteriormente, é um CMS que se baseia em um Sistema Gerenciador de Bancos de Dados (SGBD), o MySQL. Ouso do MySQL é fundamental para o sucesso que é o WordPress. Veremos então um pouco sobre ele.

O MySQL

O MySQL é um Sistema Gerenciador de Bancos de Dados (SGBD), que usa a linguagem SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, do inglês Structured Query Language) como interface. Os criadores são David Axmark, Allan Larsson e Michael “Monty” Widenius. O MySQL é um software livre, com uma dupla licença, livre e comercial: A versão livre recebe as atualizações um ano após a versão comercial.

A empresa MySQL AB, desenvolvedora do SGBD, foi adquirida em 2008 pela Sun Microsystems. No ano seguinte, a Sun foi adquirida pela Oracle, que desde então é a nova proprietária do MySQL. Hoje existe uma variante do MySQL, o MariaDB. Este é um SGBD desenvolvido pelo próprio Monty Widenius, que pediu demissão quando a Sun foi adquirida pela Oracle, e passou a desenvolver essa ramificação. Em essência, tudo que funciona em um, funciona no outro.

O MySQL é certamente um dos SGBDs mais populares do mundo, com mais de 10 milhões de instalações. Podemos citar algumas empresas que o usam, como a NASA, o Banco Bradesco, a Dataprev, a HP, a Nokia, a Sony, a Lufthansa, o Exército Americano, a Associated Press, a Alcatel, o Google, a Cisco, entre muitas outras empresas. Ele é amplamente usado para ensino de bancos de dados, linguagem SQL e tem uma integração muito fácil com o PHP. Logo, ele torna-se a opção natural para quaisquer CMS que façam uso de PHP. A sigla LAMP (Linux, Apache, MySQL e PHP) é muito conhecida por simbolizar a aliança do melhor sistema operacional de código aberto, com o mais usado de todos os servidores Web, o banco de dados campeão e a linguagem de programação amplamente adotada.

A Hostnet usa o MySQL e sua contraparte livre, o MariaDB, em seus servidores de bancos de dados, aliando robustez à facilidade de uso, segurança e qualidade.

A importância da otimização

Ninguém gosta de perder tempo. E hoje em dia não basta ter conteúdo oferecido a custo baixo. Tem que ter também uma resposta rápida. É irritante aguardar muitos segundos ou até alguns minutos para acessar certos sites lentos, ou ainda ter que escavar entre páginas de texto inútil para encontrar conteúdo útil. Fatalmente esse site será abandonado pelos seus usuários.

E hoje temos a grande parte da navegação Web ocorrendo em dispositivos como smartphones. Otimizar o site significa também torná-lo mais acessível para usuários que acessem a partir de dispositivos móveis, onde a largura de banda é mais limitada e a quantidade de dados que pode trafegar, bem menor, devido ao plano de dados da operadora. Focar também nesses clientes é uma estratégia altamente recomendada.

Microssegundos economizados fazem diferença no tráfego do site: Quando mais rápido, maior será o tráfego.

Mãos à obra!

Nosso objetivo, nesse material, é apresentar um breve guia de como otimizar o seu banco de dados, para que ele responda às solicitações mais rapidamente e assim acelere todo o conjunto.

Se você atualiza seu site regularmente, o banco de dados irá crescer de tamanho, e bancos de dados grandes e pesados afetam diretamente o desempenho de qualquer site: O SGBD demora mais para responder, o CMS leva mais tempo para gerar a página, e por aí vai. A remoção de dados desnecessários aumentará a eficiência do banco de dados, e suas páginas irão ser lidas mais rapidamente. Veremos então como.

Entendendo o banco de dados usado pelo WordPress

Antes de otimizar o banco de dados, é preciso entender como o WordPress estrutura o banco de dados que usa. O WordPress trabalha, a princípio, com 11 tabelas (claro, isto pode mudar no futuro). Os plug-ins criam tabelas novas, então é comum encontrarmos sites gerenciados pelo WordPress que contenham dúzias de tabelas. Nessas tabelas extras, teremos configurações salvas dos plug-ins, dados usados por eles, entre outras. 

Continuação …

Este artigo foi publicado originalmente na Info Hostnet. Leia na íntegra Otimização de banco de dados para WordPress.

Links Relacionados:

https://www.hostnet.com.br/info/otimizacao-de-banco-de-dados-para-wordpress/

https://www.hostnet.com.br/info/melhore-o-desempenho-do-seu-wordpress/

https://www.hostnet.com.br/ebook/wordpress-o-campeao/

https://www.hostnet.com.br/app/hospedagem-wordpress/

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *